“É preciso que a base seja alimentada com a consciência”

Em 20 de novembro celebramos o Dia da Consciência Negra no Brasil. A data lembra Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, morto em 20 de novembro de 1695. A cada ano, o que percebemos, no entanto, é uma melhoria muito aquém do esperado no que diz respeito aos direitos dos negros. A consciência negra desejada por muitos ainda é ignorada por uma grande parcela da população.

Para que tenhamos sucesso nessa luta de combate ao racismo, é preciso que a base seja alimentada com a consciência. O combate a esse tipo de crime precisa estar em todos os ambientes das crianças e jovens para que, muito em breve, a realidade brasileira tenha outra história.

Com pessoas despedidas de preconceitos, não haverá distinção na hora das disputas profissionais, haverá igualdade em todos os sentidos. As pessoas, independentemente, de suas classes sociais ou cor, devem se olhar de igual para igual.

Segundo o TSE, dos 513 deputados eleitos em 5 de outubro, 79,9% se declararam brancos; 15,7%, pardos e 4,29%, pretos. Em um país onde o número de pessoas que se declaram pretas e pardas é mais da metade da população, essa não devia ser a realidade de nosso Congresso Nacional.

Nesse momento em que o assunto é debatido exaustivamente, convoco todos os brasileiros a lutar por esta nobre causa. Vamos fazer da consciência negra uma rotina em nossas vidas.

Luiz França
Secretário-geral Nacional do PHS
 

Deixe uma resposta