A um mês das eleições, solidaristas reforçam suas campanhas

O PHS, um dos partidos com maior número de candidatos nas eleições de 2014, segue para a reta final da disputa. Os solidaristas têm mais 30 dias para suas campanhas em suas cidades e estados em busca do sucesso nas urnas. "Sabemos que a campanha é uma tarefa difícil, mas estamos com excelentes nomes nessa disputa e o trabalho será recompensado", destaca o presidente Nacional do PHS, Eduardo Machado.

A meta e prioridade do PHS é a eleição de deputados federais em todas as regiões brasileiras. "Fizemos uma intensa preparação para 2014 e obtivemos a resposta de nossos filiados com um grande número de pessoas dispostas a entrar nessa batalha", lembra o presidente.

Segundo dados do TSE, o PHS está entre os partidos com maior número de candidatos ao cargo de deputado federal, são 292 em todo o Brasil. Em relação a 2010, o PHS ampliou em 20% o número de candidatos a Federal.

No geral, dos nomes que concorrem a todas as vagas desta eleição, o PHS é o oitavo partido em número de candidatos. São 1.007 solidaristas que levam o nome da sigla para a realização de um projeto. O partido que mais tem candidatos soma 1.334 nomes.

"A reta final é um dos momento mais importantes para cada candidato. Hora de últimos ajustes de campanha e de reforçar o trabalho em lugares específicos. Desejamos sorte aos nossos companheiros", finaliza Eduardo Machado.

Tudo pronto

O TSE concluiu no início da noite desta quinta-feira (4) a Cerimônia de Assinatura Digital e Lacração dos Sistemas Eleitorais que serão utilizados nas Eleições 2014. O objetivo é garantir a segurança e a credibilidade dos programas computacionais utilizados no pleito. Todos os ministros da Corte, titulares e substitutos, participaram, além de autoridades do Ministério Público, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e de representantes de partidos políticos.

A cerimônia ocorreu no edifício-sede do TSE (sala Multiuso, localizada no subsolo), em Brasília-DF. Na ocasião, os sistemas eleitorais foram assinados digitalmente pelo presidente do TSE, ministro Dias Toffoli, pelo procurador-geral Eleitoral, Rodrigo Janot, e pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcus Vinicius Furtado Coêlho. A assinatura digital assegura que o software da urna não foi modificado de forma intencional e é autêntico, ou seja, produzido e gerado pelo TSE.

Deixe uma resposta