Diego se reúne com parlamentares e entidades filantrópicas do seu estado natal

O deputado Diego Garcia (PHS-PR), juntamente com a bancada de seu estado, participou de um café da manhã promovido pela Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Paraná (Femipa), nesta quarta-feira (8). Com objetivo de mostrar a realidade dos hospitais filantrópicos da região, as entidades aproveitaram o encontro para pedir apoio aos deputados e senadores, para que incluam o setor de Saúde nas emendas parlamentares.

Segundo a Femipa, os hospitais filantrópicos não podem mais arcar com os custos adicionais causados pelo atraso nos repasses dos recursos vindos do Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com Luiz Soares Koury, presidente da federação, os gastos são altos. Disse ainda que não aceitarão mais a desculpa de que não existe verba suficiente. Os representantes da instituição pediram aos parlamentares presentes que aprovassem leis justas para ajudar os hospitais filantrópicos a enfrentar a situação crônica vivida pelas entidades atualmente.

Uma das propostas de campanha do solidarista Diego Garcia é sobre a defesa desses hospitais. “Dos 71 municípios do Paraná que possuem hospitais filantrópicos, 17 fazem parte da minha região. Ao mesmo tempo em que somos privilegiados por essa estatística, vivencio os gritos, as dores, e o clamor do povo do Norte Pioneiro por melhores condições”, lembrou. O solidarista colocou-se à disposição da Femipa e afirmou que trará para discussão, na Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF), o tema debatido nesta manhã. “O meu gabinete está de portas abertas. Contem comigo.”

Na Câmara
A CSSF realizou, na última semana, audiência pública para discutir a possibilidade de reajuste da tabela do SUS para hospitais filantrópicos. O diretor da Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas, Mário Medeiros, disse que a defasagem na tabela do SUS é de 110%. De acordo com a Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, a cada um real gasto em um procedimento médico, o SUS repassa, em média, R$ 0,65.

 

Deixe uma resposta