Fala Presidente: A força do partido para o bem de todos

Para a construção e consolidação da democracia, faz-se necessária a presença dos partidos políticos, organizados voluntariamente em um espaço onde prevaleça o debate livre, com equilíbrio de propostas e projetos, a fim de que as decisões possam ser tomadas em consenso, com predomínio do interesse coletivo sobre o individual. Por meio dos partidos, pessoas com objetivos comuns e ideais bem definidos têm a oportunidade de buscar melhorias para a sociedade, seja no governo ou fazendo uma oposição leal e consciente, que vise o bem comum.

O próprio sistema democrático brasileiro corrobora a ideia de que o mandato eletivo pertence ao partido e não ao candidato. Afinal, é a agremiação que fornece os meios necessários para que o postulante ao cargo público possa se lançar à disputa nas urnas, ao colocar à sua disposição toda uma estrutura, além da força de milhares de militantes. A vitória em uma eleição é, fundamentalmente, uma conquista em equipe.

Neste contexto, os pequenos partidos mostram-se fundamentais, especialmente no caso do PHS (Partido Humanista da Solidariedade). Seus dirigentes estão cada vez mais perto de suas bases estaduais e municipais, o que lhes permite conhecer os anseios dos moradores de cada município, de cada pequena localidade, bem como as reivindicações e necessidades de quem vive em grandes centros. Com isso, tanto tem a capacidade de governar, diretamente ou por meio de parcerias, quanto de fiscalizar o trabalho dos governantes e de cobrar as providências necessárias para melhorar as condições de vida da população que os elegeu.

Como um partido ainda em crescimento, o PHS pode abrir suas portas e fornecer viabilidade eleitoral para candidatos que, mesmo desconhecidos de uma parcela da população, tenham o compromisso de melhorar o meio em que vivem, possam se apresentar ao público, mostrando o que podem realizar com o apoio da legenda a que está filiado. Essas mesmas pessoas – sejam elas donas de casa, comerciantes, funcionários públicos ou profissionais liberais – não teriam o mesmo respaldo em grandes partidos, em que alguns caciques têm cadeira cativa.

Com um quadro qualificado e unido, o PHS vem ampliando sua presença no cenário político a cada pleito, tanto em chapas puro-sangue quanto nas coligações nas quais não abre mão de seus princípios e valores, mostrando aos seus militantes e simpatizantes que um pequeno partido não deve ser uma legenda de aluguel, a serviço incondicional das grandes legendas, mas integrante de alianças justas e equitativas.

Com essa postura, os cidadãos terão sempre seus direitos respeitados e protegidos, ao escolherem livremente seus representantes, desde os que vão administrar as prefeituras ao governante que estará no comando do Palácio do Planalto.

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta