PHS e PEN capacitam pré-candidatos para as eleições de outubro

Durante o processo eleitoral, as noções jurídicas são tão importantes quanto o posicionamento político-ideológico. Por falta de informação adequada, inclusive a respeito das novas resoluções do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), muitos candidatos acabam multados ou até mesmo punidos com a impugnação ou a perda de seus mandatos. Questões como o recebimento de doações para o partido e seus candidatos, propaganda nas redes sociais e cumprimento de prazos para o início e fim das campanhas, por exemplo, são primordiais para uma campanha bem-sucedida.

Assim, diante da preocupação de investir continuamente na capacitação de seus pré-candidatos, e no sentido de conquistar o eleitor por meio da apresentação de um projeto sério, comprometido com o País, o Partido Humanista da Solidariedade (PHS) e o Partido Ecológico Nacional (PEN), no Distrito Federal, realizaram, no último fim de semana, um workshop para prestar orientações e esclarecer dúvidas jurídicas para cerca de cem pré-candidatos que disputarão o pleito em outubro deste ano.

“Um dos deveres de um partido que tenha compromisso com a sociedade é esclarecer sua militância. Ela não deve ser mera carregadora de faixas ou massa de manobra e sim, parte de um corpo político. Assim, esse ciclo de debates que estamos iniciando antes da eleição é, também, um curso de cidadania e de civismo, uma nova política, menos mesquinha e mais ativa. É um jeito novo de pensar uma eleição e os eleitores”, declarou o deputado distrital Alírio Neto, presidente da Regional do PEN no Distrito Federal.

Segundo Francisco das Feiras, que participou do workshop, essa iniciativa contribui para a maturação do pré-candidato e, por consequência, do candidato, que tem de estar capacitado jurídica e politicamente para conquistar o voto.

Para ele, o sistema político brasileiro passa por um processo de desgaste. Por isso, os partidos e candidatos têm de trabalhar para resgatar a credibilidade.  “O eleitor está mais exigente e tem de ser convencido por meio de argumentos e projetos. A política do tapinha nas costas e de prometer o céu não funciona mais”, disse.

Francisco diz que veio para o PHS porque é um partido que se preocupa com sua imagem, seus candidatos, com a mudança. Ele destacou a visão de seriedade, de grupo demonstrada pela nova direção –  por meio da qual os interesses coletivos estão acima dos individuais – proporciona que todos ganhem, não apenas aqueles que forem eleitos.

O pré-candidato diz que essa forma de atuar facilita a construção de nominatas, com a indicação de nomes competitivos, integrantes de uma equipe forte, que apresentará aos eleitores um projeto para o País com um jeito diferenciado de governar.

Na avaliação do professor Gustavo, pré-candidato a distrital pelo PEN, a reunião com os advogados eleitorais mostra que PHS e PEN saíram na frente.  “Foi fundamental para 99% dos pré-candidatos que não tiveram a oportunidade de estudar o sistema eleitoral e, por isso, estariam sujeitos a multas ou até mesmo a impugnação de suas candidaturas”, declarou.

Gustavo, que é professor de Direito Administrativo e já havia estudado as leis para as eleições, lembrou que os presentes no encontro puderam esclarecer suas dúvidas e, com isso, estão mais bem preparados para a disputa nas urnas.

Deixe uma resposta