Neste 20 de novembro é celebrado o Dia da Consciência Negra no Brasil. Que bom seria se não precisássemos de uma data específica para falar dessa questão. O ideal é que essa luta por consciência fosse diária e que não tivesse cor ou nível social e que o respeito ao próximo não tivesse nome ou endereço.

Mas, infelizmente, essa não é nossa realidade. É preciso que o tema ganhe destaque, que tenha defensores aguerridos e que isso force a criação de políticas públicas específicas para as minorias em nosso Brasil.

Melhoramos muito, principalmente quando nos comparamos a outros países em que o racismo se tornou rotina. Mas é preciso mais. Segundo um levantamento do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), 39 mil negros são assassinados por ano no Brasil, contra 16 mil indivíduos não negros. De acordo com os pesquisadores, o racismo e as condições econômicas e sociais são os fatores para essas mortes.

O que buscamos no PHS é trabalhar sem qualquer distinção e cobramos isso de nossos solidaristas. Atuamos sob os preceitos cristãos de valorização da pessoa humana e em busca do bem comum. Essa é nossa bandeira. Todo dia é dia de consciência.

Contamos com todos para continuar nesse caminho. Humanismo e solidarismo acima de tudo.

Luiz França
Secretário-geral do PHS

PHS está na luta por um Brasil com igualdade para todos

Deixe uma resposta