TSE fará campanha de incentivo à participação feminina na política

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) prepara uma campanha de incentivo a uma maior participação da mulher na política brasileira. Em reunião com a bancada feminina do Congresso Nacional, o presidente do TSE, ministro Marco Aurélio, afirmou que, “se queremos realmente a política equilibrada, nós devemos abrir as portas para a participação feminina”. Em um ranking de 188 países, o Brasil ocupa a posição de número 156 no que se refere à presença de mulheres no Poder Legislativo.

Durante o encontro, foi lembrado que, apesar de as mulheres serem a maioria do eleitorado, ocupam cerca de 10% das cadeiras no Poder Legislativo, em todos os níveis.

O ministro Marco Aurélio frisou que ações nesse sentido são “muito importantes, porque é incompreensível que tenhamos um maior número, em termos de população, do gênero feminino e não haja a mesma participação na política”.

Nesse sentido, o presidente Nacional do PHS, Eduardo Machado, lembra que o partido busca a maior participação feminina dentro da sigla. Muitas já estão filiadas e algumas estão à frente do partido em vários municípios brasileiros e são peça fundamental na tomada de decisões.

Na Plenária Nacional do PHS, em 30 de novembro de 2013, foi anunciada a nova presidente Nacional do PHS Mulher, Iara Costa. Ela afirmou que vai atuar em busca do crescimento do partido em todo o Brasil. "Nossa primeira ação será fazer contato com todas as direções estaduais para saber onde já temos o segmento e onde não tiver o PHS Mulher, vamos orientar os presidentes estaduais e municipais para essa implementação", afirma Iara.

Estatísticas

De acordo com o levantamento apresentado na cartilha “+ Mulher na Política: Mulher, Tome Partido”, em um ranking de 188 países, o Brasil – apesar de ser a 7ª economia do mundo e o 5º país em extensão geográfica e em população – é o 156ª no que se refere à presença do sexo feminino no Poder Legislativo, ficando atrás de países como os Emirados Árabes, que aparece na 100ª posição. No âmbito da América Latina, de 34 países, o Brasil é o 30º.

Além disso, apesar de o eleitorado feminino ser maior que o masculino, o número de mulheres eleitas nas últimas eleições ainda é muito inferior. Segundo dados do TSE do mês de novembro, o Brasil tem 141.522.258 eleitores, sendo 73.684.690 mulheres (52,07%) e 67.715.326 homens (47,85%). Em contrapartida, nas últimas eleições gerais, realizadas em 2010, foram eleitas apenas 45 deputadas federais, o equivalente a 9% do total de 513 membros da Câmara. Para o Senado, foram eleitas sete senadoras (13%), considerando-se as 54 cadeiras em disputa (dois terços) naquele pleito.

Deixe uma resposta