A Comissão Parlamentar de Inquérito da Sabesp, presidida pelo vereador Laércio Benko (PHS-SP), realizada desde agosto de 2014, aprovou nesta quarta-feira (10) o relatório final com indicação de todas as ações que a Câmara recomenda que sejam tomadas para mitigar e evitar que a crise hídrica piore na cidade.

Durante os nove meses em que a CPI esteve em vigor, vários técnicos e especialistas foram ouvidos, além da ex-presidente da Sabesp, Dilma Penna, e o atual presidente Jerson Kelman. Além deles, o diretor técnico, Paulo Massato, também prestou esclarecimentos.

Vários assuntos foram abordados nas oitivas, onde foi constatado que a empresa não se preparou adequadamente para a eminente falta de água. Obras deixaram de ser planejadas e outras tiveram atrasos em seu cronograma. “Vale lembrar que em 2012, o Jardim Pantanal, Zona Norte de São Paulo, passou semanas inundado devido às chuvas e à alta no Sistema Cantareira”, afirmou o vereador Laércio Benko, presidente da CPI.

“Se a Sabesp tivesse investido os dividendos distribuídos na Bolsa de Nova Iorque em obras para modernizar os sistemas que abastecem a capital e na manutenção da rede, que perde cerca de 30% da água tratada entre seu trajeto nas estações e as casas da população, não estaríamos enfrentando o racionamento travestido de redução de pressão”, completou o solidarista.

Entre as recomendações está a criação de uma agência reguladora, que seja independente do Estado, já que há incompatibilidade em uma autarquia ligada ao prestador do serviço exercer o papel de regulação.

A CPI também realizou várias audiências públicas em vários bairros da cidade e os vereadores constataram que o racionamento é um fato. Diversos pontos, especialmente nas regiões mais altas de São Paulo, ficam boa parte do dia sem abastecimento de água. A Comissão fez diligências em diversos bairros, mas um chamou a atenção: Bairro Vera Cruz, que fica às margens da Represa do Guarapiranga, em área de manancial, que há anos foi ocupada por moradores que não dispõem de saneamento, sendo o esgoto despejado diretamente na represa. No local há uma estação elevatória que à época da diligência, encontrava-se inativa.

Os vereadores decidiram, na reunião desta quarta, que o relatório final será entregue em mãos para o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, o governador, Geraldo Alckmin, o presidente da Sabesp, Jerson Kelman, e para um representante do Ministério Público Estadual.

Vereador Laércio Benko aprova relatório final da CPI da Sabesp

Deixe uma resposta